quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Como é que chegaste a mim? Corri, saltei, corri mais depressa e não parei um único segundo para descansar deixando de me importar com o meu cansaço.
Usei atalhos, deixei falsas pistas para que não descobrisses onde estava fiz tudo o que podia.
Quando te vi, voltei a correr, ainda mais depressa- não podia arriscar depois de tudo o que passei perder a corrida.
Por momentos pensei que não chegarias a mim, que tinhas desistido no caminho, mas não o fizeste. Foste batoteiro: algures no caminho, passaste-me á frente e não me deixaste ver-te.
Enganaste-me, bem devo dizer, talvez até de uma forma perfeita. Não desconfiei de nada.
Quando te vi na meta, a olhar para mim, não soube o que sentir. Se felicidade, se raiva...olhei para ti também e não fui capaz de não sorrir. (acho que de alguma maneira queria que ganhasses)



Agora chegaste primeiro. O que faço? O que digo?
Parabéns e abraço-te?
Fujo e fico calada?
Volto a ser feliz?



E agora? Mexo-me?
Vou ter contigo?
Espero?

12 comentários:

  1. "Quando te vi na meta, a olhar para mim, não soube o que sentir."

    Esta frase está tão perfeita!!!

    ResponderEliminar
  2. tenho a certeza que quando chegar a altura certa , saberás o que dizer :)
    texto perfeito *

    ResponderEliminar
  3. "Enganaste-me, bem devo dizer, talvez até de uma forma perfeita. Não desconfiei de nada"

    Noossa, gostei muito dessa parte...
    vc escreve muito bem.. (!!)

    p.s.: obrigada por seguir meu blog...

    ah, tbm gostei muito do seu, por isso :
    To seguiindo !!!

    ;*

    ResponderEliminar
  4. Indentifiquei-me tanto com este texto.
    e respondo-te:ás vezes também eu corro. para um prémio que julgo ser meu. Corro sem nunca hesitar. E outro alguém, segue o rumo a meu lado, atrás de mim. Chego primeiro. Só quando eu chego o prémio não era o que eu esperava. Não é um sorriso, mas sim um monte de lágrimas. Porque? Porque o prémio não era para mim, não se encaixava nas minhas mãos. Que faço então? Afinal, há coisas destinadas. Ou são, ou não são. E o prémio - nem o objectivo - não era. Continuo a corrida, agora já sem prémio, só com a certeza que ao correr vou ficar em boa forma. Vou ficar bem, por mim. E não pelo prémio-que-não-é-nem-se-encaixa-como-meu.

    p.s: esta música faz-me gritar, e espalhar as prisões de mim. numa mão gosto, noutra não.

    vou seguir também :)

    ResponderEliminar
  5. As tuas perguntas são sempre complicadas de responder (:

    Os teus textos são sempre tão giros *_*

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  6. Tens tanto geito para escrever querida, os teus textos fascinam-me! (L)

    ResponderEliminar