segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Meu amor,



Corri o mais rápido que consegui, saltei e voltei a correr- tudo isto para não te deixar ir embora sem mim. 
Encontrei vários caminhos, encruzilhadas que tive de atravessar sozinha e com demasiadas preocupações , demasiadas para acertar no caminho certo á primeira. Pessoas gritavam por mim pelo caminho mas não gritos encorajadores, mas gritos de criticas, de desaprovação. Uma tempestade aproximou-se e chuvia torrencialmente, e eu ali a correr no meio das ruas, a passar pelo meio das pessoas sem qualquer cuidado e o mais depressa que podia ir. Mesmo toda molhada, continuei, não parei um único momento.
Cheguei lá, depois do previsto mas cheguei. Não estavas lá. Onde estavas?
Durante três minutos pensei que estivesse no local errado, que no meio daquele labirinto me tivesse enganado, mas não. Olhei e vi tudo o que me tinhas indicado, um mundo quase-perfeito: flores, sol no meio da tempestade, pássaros, mar...mas sem sinal de ti.
Olhei tudo, uma e duas e três e quatro vezes, não estavas lá e não havia nada que dissesse que alguma vez lá tinhas estado.
Então percebi...Nunca tinhas feito intenção de ter lá estado, jogaste comigo, fizeste-me chegar ao meu extremo e...

... agora estou assim





6 comentários:

  1. Doí ir atras e nao achar o que queriamos..
    Superar é preciso, força querida!

    Beijos.

    ResponderEliminar
  2. Último post: Briga pelo msn....será que eu peguei pesado?

    ResponderEliminar
  3. "Então percebi...Nunca tinhas feito intenção de ter lá estado, jogaste comigo, fizeste-me chegar ao meu extremo e..."

    gostei dessa frase... me identifiquei... ;/


    ;*

    ResponderEliminar
  4. e... "hei-de aprender a jogar também".

    beijinhos,
    bb

    ResponderEliminar
  5. Esta lindo.. Por vezes corremos tanto para nada mas temos sempre que pensar que nem tudo esta perdidoooo

    ResponderEliminar